segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

SONETO AO COTIDIANO


NÃO É PRECISO TER MUITO DINHEIRO
PARA ALIMENTAR A ALMA DE FELICIDADE
SÓ É PRECISO UM LUGAR ROTINEIRO
PARA A ALMA SORVER AS BELEZAS DA CIDADE

SENTADO,EM SILÊNCIO, OUVINDO O COTIDIANO
SE PERDER NO TEMPO, SEM CUMPRIR HORÁRIO
OUVIR BEM DISTANTE A MÚSICA DE UM PIANO
ENCHER O CORAÇÃO COM O IMAGINÁRIO

MELHOR NÃO TEM, QUE OBSERVAR O TEMPO
COM A CALMA DO MUNDO,SE ENTREGAR A TANTO
NÃO DEIXAR QUE AS PEQUENAS COISAS VOEM COM O VENTO

ME REGOZIJO EM OLHAR A ARTE DA VIDA
FÁBRICA GRATUITA DE SONHOS TÃO BELOS
LIDAS EM SONÊTOS, COMO SE VISTA DO ALTO,COMPLETAMENTE LINDA


12/05/2006 TEREZA NEUMANN

3 comentários:

Duh franzen disse...

Olá...
procurei em poesias e achei vc...
amei teu blog, especialmente esse soneto, tbm gosto de escrever as coisas do coração...
bjs e bom findi semaninha

Talita Leão disse...

Olá, encontrei seu blog pelo Google, procurando imagens sobre o cotidiano, e adorei a obra que postou. Gostaria de saber a autoria, você sabe me informar?

disse...

Olá Talita,

Soneto ao cotidiano é um poema meu (Tereza Neumann). Se quiser saber mais alguma coisa escreva para o meu email neumann54@hotmail.com

Bjos,

Tk